ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS INIBEM O CRESCIMENTO DO COMPLEXO SPOROTHRIX SCHENCKII

  • Jennifer Prade
  • Ana Luisa Reetz Poletto
  • Gabriela Seibert
  • Cheila Denise Ottonelli Stopiglia
Rótulo Sporothrix, spp, Resistência, antifúngicos, ibuprofeno, diclofenaco, sódio, ácido, acetilsalicílico

Resumo

O Complexo Sporothrix schenckii é um fungo dimórfico e agente etiológico da esporotricose, uma micose subcutânea que afeta homens e animais, que ocorre predominantemente em áreas tropicais e subtropicais, incluindo áreas endêmicas. Essa zoonose pode ser adquirida por implantação traumática do fungo a derme, por arranhaduras e mordeduras de animais ou pela manipulação de plantas e solos contaminados. Devido à incidência de isolados resistentes ao tratamento, se torna necessário a busca por novas estratégias terapêuticas. Estudos realizados com Candida spp., Cryptococcus spp. e Trichosporon spp. demonstraram que a associação entre anti-inflamatórios não-esteroidais (AINES) e antifúngicos representa uma perspectiva promissora em relação aos isolados resistentes. Os AINES são amplamente utilizados, especialmente como anti-inflamatórios e analgésicos. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia in vitro de anti-inflamatórios não esteroidais (ácido acetilsalicílico, ibuprofeno e diclofenaco de sódio) contra duas espécies clinicamente relevantes: S. brasiliensis e S. schenckii sensu stricto. A Concentração Inibitória Mínima (CIM) desses AINES frente aos 11 isolados de Sporothrix spp. foi determinada pelo método de microdiluição em caldo, de acordo com o protocolo M38-A2 do Clinical and Laboratory Standards Institute (2008). Entre os AINES avaliados, o ibuprofeno apresentou o melhor efeito inibitório, com CIM na faixa de 0,12 a 8mg/mL (Média Geométrica MG: 0,99 mg/mL), enquanto o ácido acetilsalicílico demonstrou atividade entre 1 e 8mg/mL (MG 2mg/mL) e o diclofenaco sódico não apresentou atividade na concentração avaliada (8mg/mL). Portanto, é possível observar que o ibuprofeno e o ácido acetilsalicílico apresentam atividade antifúngica frente ao complexo S. schenckii e podem representar uma proposta para o tratamento da esporotricose, principalmente em associação desses AINES com os antifúngicos. A partir dos resultados obtidos, pretende-se avaliar a interação dos antifúngicos, terbinafina e itraconazol com os AINES ibuprofeno e ácido acetilsalicílico.Apoio: Programa de Apoio à Pós-Graduação (PAPG-UNIPAMPA) e Programa de Desenvolvimento Acadêmico (PDA - UNIPAMPA). Referências: CLSI. 2008. Reference Method for Broth Dilution Antifungal Susceptibility Testing of Filamentous Fungi; Approved StandardThird Edition. CLSI document M38-A2. Clinical and Laboratory Standards Institute, Wayne, PA, USA.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
PRADE, J.; LUISA REETZ POLETTO, A.; SEIBERT, G.; DENISE OTTONELLI STOPIGLIA, C. ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS INIBEM O CRESCIMENTO DO COMPLEXO SPOROTHRIX SCHENCKII. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.