BOAS PRÁTICAS DE ATENÇÃO AO PARTO E AO NASCIMENTO: REVISÃO INTEGRATIVA

  • Pâmela Gonzalez
  • Mari Luci Chalme da Silva
  • Lisie Alende Prates
Rótulo Parto, humanizado, Humanização, assistência

Resumo

Introdução: no ano de 1996, a Organização Mundial da Saúde criou uma classificação das boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento, que foram classificadas em quatro categorias, segundo facilidade, eficiência e risco, para conduzir a atuação profissional. Objetivo: analisar as evidências científicas disponíveis na literatura sobre as práticas profissionais que se aproximam e se distanciam das boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento. Material e métodos: revisão integrativa, realizada em setembro de 2018, nas bases de dados eletrônicas Literatura Latino-Americana, do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Base de Dados de Enfermagem (BDENF), utilizando-se a estratégia de busca: "parto" or "parto humanizado" [Descritor de assunto] and ( "práticas" ) or "prática" [Palavras] and "2013" or "2014" or "2015" or "2016" or "2017" [País, ano de publicação]. A busca foi guiada pela questão de pesquisa: quais as práticas que se aproximam ou distanciam da humanização do parto? Foram critérios de inclusão: artigos oriundos de pesquisas, que estavam disponíveis online e gratuitamente; no idioma português; publicados nos últimos cinco anos devido ao critério de exequibilidade analítica. Já os critérios de exclusão consideraram os artigos que apresentavam resumo incompleto, que não responderam à questão de pesquisa ou correspondiam a outra temática. Mediante a busca, foram localizados 95 artigos, sendo 47 na base LILACS e 48 na BDENF. Desses estudos, 15 artigos foram selecionados para análise. Resultados e discussão: as pesquisas analisadas tiveram como participantes profissionais da área da Enfermagem (sete estudos), puérperas (seis estudos), acompanhantes (um estudo) e gestantes (um estudo). Oito pesquisas foram desenvolvidas em hospitais maternidade, três em casas de partos, uma considerando a modalidade de parto domiciliar planejado e uma a partir de grupo de gestantes. Quanto aos achados dos estudos, estes foram divididos em duas temáticas: Práticas que se aproximam da humanização do parto e Práticas que se distanciam da humanização do parto. Foram evidenciadas práticas desenvolvidas, especificamente, em Centros de Parto Normal da rede pública; em maternidades da rede hospitalar; e no contexto de atendimento de partos domiciliares planejados. Conclusão: esta revisão pode propiciar subsídios para a reflexão dos profissionais de saúde para a qualificação das práticas adotadas no processo de parto e nascimento, visto que é possível observar pouca adoção e aceitação das boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento nos contextos assistenciais de saúde, especialmente nos ambientes hospitalares. Nessa perspectiva, reconhece-se a importância do desenvolvimento de ações que possam estimular o empoderamento das mulheres no processo parturitivo, a fim de que reivindiquem por uma assistência mais individualizada, personificada e humanizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
GONZALEZ, P.; LUCI CHALME DA SILVA, M.; ALENDE PRATES, L. BOAS PRÁTICAS DE ATENÇÃO AO PARTO E AO NASCIMENTO: REVISÃO INTEGRATIVA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.