A VISITA DOMICILIAR COMO UM MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO PARA A FRAGILIDADE EM IDOSOS

  • Joseane Nogueira
  • Letice Dalla Lana
Rótulo Idoso, fragilizado, Visita, domiciliar, Coleta, dados

Resumo

A fragilidade tem sido considerada multidimensional, pois envolve aspectos econômicos, ambientais, sociais, cognitivos, físicos e biológicos. Para identificar a prevalência e incidência desta síndrome geriátrica, a Visita Domiciliar (VD) tem sido utilizado por profissionais de diversas áreas que atuam nas Estratégias Saúde da Família (ESF). Essa aproximação por parte dos profissionais da saúde gera a criação de vínculo com o idoso e seu contexto de vida. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo relatar a visita domiciliar como método de investigação para a fragilidade em idosos. Trata-se de um relato de experiência realizado em uma ESF de um município da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, iniciada em Junho de 2019. A VD é um método de coleta de dados do projeto de pesquisa intitulado Impacto das intervenções de enfermagem na redução da síndrome da fragilidade em idosos. Antes da realização das VD, as pesquisadoras organizaram um mapa geográfico com a descrição dos idosos por rua e número. A partir deste mapa, realizou-se a identificação do idoso e a VD. Os instrumentos utilizados na VD são Escala de Fragilidade de Edmonton, descrições das comorbidades e dados sociodemográfico. A condução da VD baseou-se no instrumento da EFE, visto o objetivo de investigar a prevalência da síndrome. A descrição da vivência permitiu analisar os benefícios, limitações e aprendizados adquiridos pelos pesquisadores. A VD pode ser identificada como um método de coleta de dados, pois permitiu um conhecimento mais amplo sobre a saúde do idoso e todo o seu contexto, e assim, podendo delinear intervenções para prevenção e promoção da saúde. Justifica-se a adoção da VD, pois o objetivo do projeto de pesquisa que subsidia tal método, é implementar intervenções de enfermagem para o diagnóstico real ou de risco para a Fragilidade no Idoso. Corroborando, um estudo já utiliza a VD como método de investigação para a prevalência da fragilidade da população idosa. Dentre os benefícios da VD destaca-se a organização da coleta de dados a partir de um mapa geográfico da região. As limitações encontradas até o momento referem-se ao custo, tempo de locomoção dos pesquisadores, tempo bastante dispendioso durante a VD, clima chuvoso e a ausência do idoso no domicilio no período de coleta. Outro aspecto limitante foi a realização da VD na hora dos afazeres domésticos ou de rotina do idoso. A VD é um instrumento eficiente e eficaz para a coleta de dados, já que representa um meio de execução de técnicas ágeis e fidedignas de pesquisa. Além disso, acredita-se que os pesquisadores podem utilizar a VD para a etapa de coleta de dados, já que possibilita a identificação de riscos que embasem o planejamento de ações para prevenção e promoção de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
NOGUEIRA, J.; DALLA LANA, L. A VISITA DOMICILIAR COMO UM MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO PARA A FRAGILIDADE EM IDOSOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.