ANÁLISE EVOLUTIVA PLASTIDIAL DE ESPÉCIES DA FAMÍLIA CANNABACEAE

  • Dalvan Beise
  • Cristiane D Oliveira Matielo
  • Rafael Plá Matielo Lemos
  • Flávio Anastácio de Oliveira Camargo
  • Valdir Marcos Stefenon
Rótulo Cannabis, 1, Genoma, Plastidial, 2, Filogenômica, 3, Análise, Evolutiva, 4

Resumo

A família Cannabaceae compreende cerca de 170 espécies vegetais, destas algumas apresentam grande valor econômico sendo empregadas em diversos setores como os espécimes dos gêneros Cannabis e Humulus, utilizados na indústria e medicina. Este trabalho objetivou realizar uma análise comparativa de genomas plastidiais conhecidos para a família Cannabaceae a fim de obter uma visão com enfoque evolutivo do cpDNA para a família e identificar regiões gênicas que estejam sofrendo pressão seletiva. Dezesseis genomas plastidiais foram obtidos na plataforma GenBank, sendo: Aphananthe aspera, Cannabis AK Royal Automatic, Cannabis sativa, Cannabis sativa 'Brazuka', Cannabis sativa var. Carmagnola, Cannabis sativa subsp. sativa cultivar Cheungsam, Cannabis sativa var. Dagestani, Cannabis sativa var. Yoruba-Nigeria, Celtis biondii, Gironniera subaequalis, Humulus lupulus, Humulus scandens, Lozanella enantiophylla, Parasponia rugosa, Pteroceltis totarinowii e Trema orientalis. Foi conduzida uma análise filogenética de máxima verossimilhança no software MEGA 6.0. e uma análise Dot Plot par a par de todos os genomas na plataforma MAFFT. Os genomas foram submetidos a uma análise para detectar as estruturas repetitivas no software REPuter e analisados o nível de divergência dos genomas com a ferramenta Slide Window do software DnaSP, sendo comparada a diversidade de nucleotídeos (pi), o teste D de Tajima e os testes F e D de Fu & Li. Resultaram da análise filogenética 3 agrupamentos, Clado A (acessos pertencentes ao gênero Cannabis), Clado B (antigas representantes da família Cannabaceae, gêneros irmãos Cannabis e Humulus) e Clado C (todos os representantes da antiga família Celtidaceae que recentemente foi incorporada a família Cannabaceae). A análise Dot Plot demonstrou ausência de rearranjos nos genomas plastidiais estudados. A avaliação do teste de Tajima D demonstrou a presença de mutações deletérias na amostra (D = -1,15897 (P > 0.10). Os seguintes valores foram obtidos para Fu & Li D = -1,41360, Fu & Li F = -1,55150 ambos com P>0.10. A análise de Slide Window sugere que as regiões gênicas rps12, rrn16 (16S) e rrn23 (23S) estão sofrendo pressão de seleção positiva para todos os testes, sendo estas regiões de interesse para prospecção de marcadores tanto forenses como de rastreabilidade vegetal. Considerando o número reduzido de estudos envolvendo a genômica plastidial para esta família, é de grande importância conhecer e compreender as relações evolutivas, possibilitando o desenvolvimento de ferramentas moleculares utilizando como base esse genoma.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
BEISE, D.; D OLIVEIRA MATIELO, C.; PLÁ MATIELO LEMOS, R.; ANASTÁCIO DE OLIVEIRA CAMARGO, F.; MARCOS STEFENON, V. ANÁLISE EVOLUTIVA PLASTIDIAL DE ESPÉCIES DA FAMÍLIA CANNABACEAE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.