EFEITOS DE DIODOS EMISSORES DE LUZ NA DEFESA ANTIOXIDANTE DURANTE FITORREMEDIAÇÃO POR PLECTRANTHUS NEOCHILUS

  • Murilo Carriço
  • Marina Diaz Rodrigues
  • Mateus Cristofari Gayer
  • Cristiane de Freitas Soares
  • Cristiane Casagrande Denardin
  • Rafael Roehrs
Rótulo Fitorremediação, LED, 2, 4-D, Fotoestimulação

Resumo

A fitorremediação é uma técnica utilizada para retirar contaminantes de águas e solos. O Plectranthus neochilus é utilizado para a fitorremediação do herbicida 2,4-D, muito utilizado na agricultura da região e com diversos relatos de intoxicação de organismos não alvos. Somado a isso, sua fitorremediação não foi totalmente eficiente devido a toxicidade que o herbicida causou à planta, impedindo principalmente a produção de metabólitos secundários, que é um importante mecanismo de defesa. Nesta perspectiva, este trabalho teve o objetivo de utilizar o fotoestímulo com luz de LED vermelha para estimular a produção destes metabólitos, para potencializar os mecanismos de defesa da planta contra a formação de espécies reativas (ER), levando em consideração que já existem trabalhos que relatam a influência de cores especificas de luz na produção de metabólitos secundários em plantas. Foram utilizadas mudas de P. neochilus de aproximadamente 25 cm em frascos de 500 mL fortificados com a formulação comercial do herbicida (aminol) na concentração de 0,602 g/ha (em água). O tratamento apresentou os grupos: plantas para fitorremediação (FITO) (planta em contato com o pesticida) e o grupo controle (planta somente em água) e outros dois grupos nas mesmas condições submetidas a luz vermelha em capelas privadas de luz ambiente (CLEDV e FLEDV). Cada frasco continha duas plantas e os tratamentos foram realizados em triplicata. No 15º dia as plantas foram separadas em caule, raiz e folhas e foram congeladas para análises futuras. Para a quantificação dos compostos fenólicos totais (CFT) por Folin-Ciocalteu e potencial antioxidante (PA) pelo método de DPPH a infusão de 0,2 g de folha em 10 mL de água foi realizada. Para a quantificação dos níveis de espécies reativas (ER) 0,5 g de folha, caule e raiz foram homogeneizados com 1 mL de Tris-HCl 50 mM, centrifugado e em seguida o sobrenadante foi utilizado para realização dos testes. Os resultados foram expressos em média ± EP, para a comparação entre os grupos utilizamos test-t e post hoc de Tukey. O fotoestímulo aumentou os níveis de CFT e o PA na FLEDV quando comparado com o FITO (25,68 e 18,54 mgEAG/g folha para os CFT e 54,7% e 49,4 % de inibição de DPPH respectivamente) com P < 0,01 e 0,001. Os níveis de ER no caule, raiz e folhas foi maior para FITO quando comparado ao FLEDV com P < 0,01 ou menores para todos os órgãos. O grupo controle quando comparado ao CLEDV, não teve variações significativas com exceção do caule, onde os níveis de ERO foram menores no grupo CLEDV. Os resultados demonstram que o fotoestímulo com LED vermelhos estimularam a produção de CFT em P. neochilus e consequentemente o PA, junto a isso ocorre a diminuição nos níveis de ER, isso demonstra que possivelmente os níveis de CFT aumentados melhoram o combate ao estresse oxidativo no caule, na raiz e nas folhas das plantas expostas ao 2,4-D. Agradecemos o apoio financeiro da Coordenação De Aperfeiçoamento de Pessoal De Nível Superior (CAPES).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
CARRIÇO, M.; DIAZ RODRIGUES, M.; CRISTOFARI GAYER, M.; DE FREITAS SOARES, C.; CASAGRANDE DENARDIN, C.; ROEHRS, R. EFEITOS DE DIODOS EMISSORES DE LUZ NA DEFESA ANTIOXIDANTE DURANTE FITORREMEDIAÇÃO POR PLECTRANTHUS NEOCHILUS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.