ENSAIOS DE TOXICIDADE DAS OXIMAS (3Z)-5-CHLORO-3-(HIDROXI IMINO)INDOLIN-2-ONE E (Z)-2-(5-FLUORO-2-OXOINDOLIN-3-ILIDENO)-HIDRAZIN-CARBOXAMIDE EM C. ELEGANS

  • Allyson Boneberg
  • Anne Suély Pinto Savall
  • Flávia Suelen de Oliveira Pereira
  • Daiana Silva Àvila
  • Eduarda Monteiro Fidélis
  • Vanessa Gervini
  • Simone Pinton
  • Daniel Henrique Roos
Rótulo Toxicidade, Oximas, C, elegans

Resumo

INTRODUÇÃO As oximas (3Z)-5-chloro-3-(hidroxi imino)indolin-2-one (Composto A) e (Z)-2-(5-fluoro-2-oxoindolin-3-ilideno)-hidrazin-carboxamide) (Composto B) são oximas de síntese recente. Os dados sobre a eficácia do uso de oximas na clínica ainda são inconsistentes e sua importância no tratamento de intoxicações por organofosforados, assim como outros possíveis usos, e requerem mais estudos. As avaliações da toxicidade são consideradas essenciais no estudo de compostos com potencial atividade biológica. OBJETIVO O objetivo deste estudo foi testar a toxicidade dos Compostos A e B em Caenorhabditis .elegans, em um modelo experimental de toxicidade aguda. METODOLOGIA Foram utilizadas as cepas N2 [tipo selvagem] obtidas do Centro Genético de Caenorhabditis, da Universidade de Minnesota nos EUA, mantidas a 20°C, em meio Nematode growth médium e alimentadas com bactéria Escherichia coli OP50. Os vermes foram sicronizados para a obtenção de todos os vermes no primeiro estágio larval (L1). Para isso a cutícula do verme foi rompida, através da utilização de uma solução de lise contendo 1mL de hidróxido de sódio 1M e 4mL de hipoclorito de sódio, o que propiciou a liberação dos ovos. Após 12-14 horas do processo de sincronização, os ovos eclodiram com a liberação das larvas no estágio L1. Um total de 2000 vermes no estágio larval L1 foram expostos ao tratamento agudo, por 30 minutos, com os compostos A e B nas concentrações de 0,1, 1, 10 e 100μM, já o grupo controle foi apenas submetido a uma concentração de 5% de DMSO (em duplicatas). Após o tratamento com os compostos os vermes foram mantidos em placas NGM previamente semeadas com E.coli OP50 a 20°C. Após 48 horas do tratamento, foi mensurada a taxa de sobrevivência e de crescimento dos vermes tratados, no estágio larval L4. Este procedimento consiste na contagem do número de vermes presentes em cada placa e da medida do comprimento do corpo dos vermes. RESULTADOS Nossos dados revelaram os Compostos A e B não causaram significativas taxas de mortalidade em todas as concentrações testadas em C.elegans.. Similarmente, não se observou nenhuma diferença significativa em relação ao comprimento dos vermes nos grupos expostos à ambos os Compostos A e B. Assim, estes resultados indicam que os Compostos A e B, até as concentrações de 100 µM, possuem baixa toxicidade em C.elegans. Nossos resultados estão de acordo com dados na literatura que indicam que compostos derivados de oximas possuem baixa toxicidade. CONCLUSÃO Nosso estudo demonstra que a (3Z)-5-chloro-3-(hidroxi imino)indolin 2-one e a (Z)-2-(5-fluoro-2-oxoindolin-3-ilideno)-hidrazina-carboxamida) não induzem mortalidade em C.elegans e exibem baixa toxicidade nos testes realizados. Para complementar estes dados, almejamos a realização de outros testes de toxicidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
BONEBERG, A.; SUÉLY PINTO SAVALL, A.; SUELEN DE OLIVEIRA PEREIRA, F.; SILVA ÀVILA, D.; MONTEIRO FIDÉLIS, E.; GERVINI, V.; PINTON, S.; HENRIQUE ROOS, D. ENSAIOS DE TOXICIDADE DAS OXIMAS (3Z)-5-CHLORO-3-(HIDROXI IMINO)INDOLIN-2-ONE E (Z)-2-(5-FLUORO-2-OXOINDOLIN-3-ILIDENO)-HIDRAZIN-CARBOXAMIDE EM C. ELEGANS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.