VARIAÇÃO MORFOLÓGICA DE ANCESTRORHYNCUS PANTANEIRO (CHARACIFORMES: ACESTRORHYNCHIDAE) EM DIFERENTES BACIAS HIDROGRÁFICAS DO SUL DO BRASIL

  • Nathalia de Souza
  • Nathália Silva de Souza
  • Carlos Benhur Kasper
  • Alice Hirschmann
Rótulo peixe, neotropical, peixe-cachorro, variação, morfométrica, Laguna, dos, Patos

Resumo

Acestrorhynchus pantaneiro é um peixe neotropical de água doce, conhecido popularmente como peixe-cachorro. A distribuição original da espécie está associada as bacias dos rios Uruguai, Paraná, Paraguai e Mamoré, mas foi introduzida no sistema hidrográfico da Laguna dos Patos e no rio Tramandaí, sendo, portanto, considerado uma espécie invasora destas bacias. Possui o corpo alongado, alcançando em média 30 cm de comprimento, e uma mancha umeral preta logo após a cabeça bem característica da espécie. Em vida possui corpo amarelo dourado e nadadeiras amarelo avermelhadas. Apresenta hábito alimentar carnívoro, predando principalmente pequenos peixes além de crustáceos e insetos. Em coletas de peixes realizadas na região central do Pampa foram observados alguns indivíduos com uma mancha conspícua na parte frontal da mandíbula, uma característica que não está descrita para a espécie. Tal achado motivou o presente estudo, que tem como objetivo inicial avaliar a natureza desta mancha, determinando se de fato trata de um cromatóforo ou se é formada por parasitas. Além desta caracterização, este estudo objetivou analisar a proporção de indivíduos que apresentam esta mancha, se é uma característica sexual, se está presente em indivíduos provenientes de diferentes bacias hidrográficas, entre outros aspectos. O trabalho foi feito a partir de uma consulta à coleção do Museu de Zoologia do Pampa localizado no Laboratório de Biologia de Mamíferos e Aves da Universidade Federal do Pampa e à Coleção Ictiológica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foram analisados 60 indivíduos provenientes das bacias dos rios Uruguai, Paraguai, Tramandaí e do sistema hidrográfico da Laguna dos Patos. Foi constatado que essa mancha é de fato formada por cromatóforo (agrupamento de células pigmentares) e que a mesma não tem correlação sexual, pois ambos os sexos a apresentaram. Dentre os 60 indivíduos analisados, apenas 10 apresentaram a mancha provenientes apenas das bacias do rio Uruguai e do sistema hidrográfico da Laguna dos Patos. Portanto, trata-se de uma característica pouco difundida na população (apenas 16,7% dos indivíduos apresentam esta mancha) e com uma distribuição relativamente restrita, embora presente em duas bacias hidrográficas diferentes. Outras analises estão sendo realizadas com os indivíduos que apresentam essa mancha, com o intuito de investigar se há outras diferenças morfológicas (morfométricas) entre os indivíduos, que possam indicar alguma separação populacional em relação aos indivíduos que não apresentam essa característica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DE SOUZA, N.; SILVA DE SOUZA, N.; BENHUR KASPER, C.; HIRSCHMANN, A. VARIAÇÃO MORFOLÓGICA DE ANCESTRORHYNCUS PANTANEIRO (CHARACIFORMES: ACESTRORHYNCHIDAE) EM DIFERENTES BACIAS HIDROGRÁFICAS DO SUL DO BRASIL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.