COMPOSIÇÃO MORFOLÓGICA DE CULTIVARES DE AZEVÉM DIPLOIDE OU TETRAPLOIDE EM DENSIDADES DE SEMEADURA

  • Rafael dos Santos
  • Rafael Santos
  • Tiago Antônio Del Valle
  • Luciane Leal Gavião
  • Victor Pilecco Barbosa
  • Leandro Noetzold Ratts
  • Eduardo Bohrer De Azevedo
Rótulo Colmo, Inflorescência, Lâmina, foliar, Material, morto

Resumo

O azevém anual é uma Poaceae muito utilizada em pastejo no Rio Grande do Sul, devido a sua adaptabilidade e morfologia que facilita a utilização como planta forrageira. Dentre as cultivares de azevém, destacam-se dois grupos, diploide e tetraploide, classificados pelo seu nível de ploidia. Os materiais genéticos disponíveis podem apresentar características morfológicas diferentes quando são utilizadas densidades de semeadura distintas. Com a variação na densidade de semeadura, há diferença na proporção dos componentes morfológicos e em relação ao seu grau de ploidia. O objetivo do trabalho foi avaliar qual a densidade mais adequada para cada nível de ploidia, visando melhores relações entre folha e colmo. O experimento foi conduzido na área experimental da Universidade Federal do Pampa Campus Itaqui, o clima da região é do tipo cfa, de acordo com a classificação de Köppen e o solo do tipo Plintossolo argilúvico distrófico. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso em parcelas de 5 linhas por 5m de comprimento e espaçamento entre linhas de 0,17m, com 4 repetições. Os tratamentos foram 5 densidades de semeadura: D1 5 kg ha-1; D2 12,5 kg ha-1; D3 25 kg ha-1; D4 37,5 kg ha-1; D5 50 kg ha-1, e duas cultivares, uma diploide: BRS Ponteio, e uma tetraploide: Potro®. Forram realizadas medidas da altura do dossel forrageiro com o auxílio do bastão graduado (sward stick), avaliando 10 plantas de forma aleatória dentro de cada parcela. A forragem era cortada sempre que atingia 0,20m de média deixando uma altura residual de 0,10m. Do material cortado foi quantificada a composição morfológica (% de folha, colmo, inflorescência e matéria morta). Os dados obtidos foram submetidos a análise de variância e havendo diferença, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey com 5% de probabilidade de erro. Não se observou interação entre os efeitos de cultivar e densidade em nenhum dos componentes avaliados. As plantas da cultivar Potro® apresentaram maiores proporções de folha e de matéria morta, menor proporção de colmo e inflorescência do que da cultivar BRS Ponteio. Estes efeitos ocorrem porque as cultivares tetraploides, em geral, produzem folhas maiores, levando a redução das outras proporções na porcentagem de matéria seca. As densidades de semeadura não afetaram as proporções de folha e de inflorescência das plantas. No entanto para o tratamento D5, reduziu a proporção de colmo em relação ao tratamento D1, assim como a participação de matéria morta. A densidade de semeadura não afeta a composição morfológica. A cultivar Potro® apresentou maior proporção de folhas na sua composição, comparada à cultivar BRS Ponteio.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DOS SANTOS, R.; SANTOS, R.; ANTÔNIO DEL VALLE, T.; LEAL GAVIÃO, L.; PILECCO BARBOSA, V.; NOETZOLD RATTS, L.; BOHRER DE AZEVEDO, E. COMPOSIÇÃO MORFOLÓGICA DE CULTIVARES DE AZEVÉM DIPLOIDE OU TETRAPLOIDE EM DENSIDADES DE SEMEADURA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.