CARVÃO ATIVADO INFLUENCIA A MORFOGÊNESE IN VITRO DE Gypsophila paniculata L.

  • Jaqueline da Rosa
  • Julia Melo Arima Perri
  • Vanessa Rocha da Silva
  • Valmor João Bianchi
  • Simone Ribeiro Lucho
Rótulo parâmetros, crescimento, mosquitinho, cultivo, in, vitro, carvão, ativado

Resumo

A produção de flores tem crescido consideravelmente no Brasil, ganhando cada vez mais importância econômica e este mercado tende a expandir cada vez mais rápido na medida que forem incorporados métodos mais eficientes de produção. Neste contexto, a espécie Gypsophila paniculata L. conhecida popularmente como mosquitinho é uma espécie de expressão econômica devido a delicadeza e aplicabilidade das suas flores. Entretanto, alguns fatores elevam o seu preço de venda e limitam a sua produção, dentre os quais se destaca a esterilidade das sementes e a geração de plantas geneticamente segregantes. Desta forma, o cultivo in vitro pode ser utilizado como uma ferramenta biotecnológica capaz de produzir plantas geneticamente iguais e de alta qualidade fitossanitária. O crescimento e desenvolvimento das plantas in vitro é determinado por vários fatores, como a predisposição genética das plantas ao cultivo in vitro, nutrientes, açúcares, reguladores de crescimento e outros tratamentos adicionais, como o uso de carvão ativado. O carvão ativado é comumente usado em meios de cultura, embora a sua adição possa ter efeitos benéficos ou prejudiciais, dependendo da espécie. Diante disso, este estudo objetivou inferir se a presença ou ausência de carvão ativado no meio de cultura promove diferenças nos parâmetros de crescimento das plantas de G. paniculata cultivadas in vitro. Explantes de G. paniculata previamente micropropagados em meio MS (MURASHIGE; SKOOG, 1962), contendo sacarose (30 g L-1), BAP (0,7 mg L-1), ágar (7 g L-1) e pH 5,8, foram utilizados no experimento. Os explantes foram inoculados em meio MS (conforme descrito acima), cujos tratamentos constou da presença ou ausência de carvão ativado (1 g L-1). Após 30 dias de cultivo in vitro foram avaliados o número de brotos e folhas, assim como o comprimento da maior folha do explante, número e tamanho de raízes, altura dos explantes e massa fresca e seca da parte aérea e sistema radicular. Os maiores valores médios de brotos (10,50±0,18 brotos/explante) e número de folhas (140,35±6,33 folhas/plântula) foram observados nas plantas cultivadas in vitro na ausência de carvão ativado. Por outro lado, estas folhas eram menores quando comparadas com as folhas das plântulas cultivadas no carvão ativado, que nesta condição atingiram 2,55±0,04cm de comprimento. A presença de carvão ativado no meio induziu não só o maior número de raízes por explante enraizado (4,75±0,03) como o maior comprimento médio (4,02±0,09cm) o que resultou em um maior acúmulo de massa fresca e seca de raízes. Concluiu-se que no cultivo in vitro de mosquitinho a adição do carvão deve ser feita para estimular uma melhor formação do sistema radicular para posterior fase de aclimatação, enquanto que a ausência de carvão no meio favorece a multiplicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DA ROSA, J.; MELO ARIMA PERRI, J.; ROCHA DA SILVA, V.; JOÃO BIANCHI, V.; RIBEIRO LUCHO, S. CARVÃO ATIVADO INFLUENCIA A MORFOGÊNESE IN VITRO DE Gypsophila paniculata L. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.