ANALISE DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM BACIAS HIDROGRÁFICAS DE ITAQUI, RS

  • Nadine Diaz
  • Roberto Dutra de Felice
  • Nelson Mario Victoria Bariani
  • Cassiane Jrayj de Melo Victoria Bariani
Rótulo CICLO, HIDROLÓGICO, SOLO, ÁGUA, ESCOAMENTO, SUPERFICIAL, SWAT

Resumo

Modelos que simulam o ciclo da água permitem predizer as condições ambientais e possíveis impactos dos diferentes usos do solo através da utilização de representações físicas e matemáticas da realidade. No presente trabalho foram utilizados os fundamentos teóricos incorporados no modelo SWAT, acrônimo em inglês de Ferramenta de Avaliação de Água e Solo para analisar o escoamento superficial da água em duas bacias hidrográficas próximas à cidade de Itaqui, RS. Para obter a vazão de escoamento superficial (Qsurf) nas bacias estudadas foram consideradas as variáveis: precipitação diária (Rday), abstração Inicial (Ia), parâmetro de retenção (S) e número da curva SCS (variável CN).  A equação:  Qsurf=(Rday-Ia)^2/(Rday-Ia +S) indica a relação entre as variáveis derivada do balanço hídrico em cada bacia. Esta equação foi modificada de forma a ficar dependente só da precipitação diária e do parâmetro CN; este parâmetro foi obtido para cada bacia como a média ponderada dos diferentes usos do solo existentes. Para determinar os diferentes usos do solo e as áreas correspondentes, assim como para visualização das regiões, traçado das bacias e da rede de drenagem foram usados alguns programas de geoprocessamento tais como: SPRING GIS do INPE e ferramentas da Google (Maps, Google Earth, GEE). Para a escolha dos números CN correspondentes a cada região foram utilizadas as tabelas do número SCS do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, disponíveis na documentação teórica do Modelo SWAT, adequadas para uma inclinação de 5% e posteriormente corrigidas para a inclinação média das bacias estudadas. Como resultado das análises feitas, foram realizadas as seguintes considerações: i) Nas categorias Arroz, Campo Nativo, Hidrografia, Indústria/Urbano e Mata Ciliar/Vegetação densa, a bacia do arroio Olaria apresentou, respectivamente, porcentagens de uso do solo de 13,9%, 27,8%, 1,3%, 46,3% e 1,2%; a bacia do arroio Cambaí apresentou 84,6%, 5,8%, 3,8%, 1,5% e 3,0%. ii) Os solos encontrados correspondem aos tipos C e D das tabelas SCS, com taxa de infiltração lenta ou muito lenta. iii) A condição de umidade antecedente considerada foi de tipo III, úmido, na capacidade de retenção de água, devido ao caráter argiloso e de várzea dos solos predominantes nas bacias estudadas. iv) O valor médio do número CN calculado para cada microbacia foi: CNOlaria= 87 e CNCambaí= 80. v) As vazões obtidas para as condições estudadas variaram na ordem de 60 a 300 litros/seg para o arroio Olaria, e uma ordem de magnitude a mais para o arroio Cambaí. Como continuação do trabalho será analisada a variação temporal do número CN em função da época do ano, por influência dos ciclos da lavoura de arroz e das precipitações sazonais. Os resultados obtidos poderão ser utilizados para contribuir na implementação do modelo SWAT nas bacias consideradas ou então em futuros projetos de análise do solo e da água, servindo como base de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DIAZ, N.; DUTRA DE FELICE, R.; MARIO VICTORIA BARIANI, N.; JRAYJ DE MELO VICTORIA BARIANI, C. ANALISE DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM BACIAS HIDROGRÁFICAS DE ITAQUI, RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.