DENSIDADES DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE AZEVÉM DIPLOIDE OU TETRAPLOIDE

  • Luciane Gavião
  • Victor Pilecco Barbosa
  • Leandro Noetzold Ratts
  • Rafael Machado dos Santos
  • Eduardo Bohrer de Azevedo
  • Tiago Antonio Del Valle
Rótulo Genótipo, Lolium, multiflorum, Lam, ploidia

Resumo

Em meio a uma grande diversidade de cultivares de azevém com características geneticamente distintas, podemos classificá-las como diploide e tetraploide. Os mesmos apresentam os potenciais produtivos diferentes por questões genotípicas, que podem ser influenciadas pela densidade de semeadura utilizada, que por sua vez impactará na economicidade do uso da pastagem. Cultivares diploides e tetraploides podem ser semeadas com densidades menores do que o recomendado, sem afetar sua produtividade. O objetivo foi avaliar densidades de semeadura em cultivares de azevém anual diploide e tetraploide, com relação à sua produção de forragem. O experimento foi realizado na área experimental da UNIPAMPA campus Itaqui, em 4 blocos sorteados ao acaso, divididos em parcelas de 5 linhas por 5 m de comprimento. Os tratamentos foram 5 densidades de semeadura, D1 5 kg ha-1; D2 12,5 kg ha-1; D3 25 kg ha-1; D4 37,5 kg ha-1; D5 50 kg ha-1; das cultivares BRS Ponteio diploide e Potro® tetraploide. As medidas de produtividade foram realizadas por cortes sucessivos, considerando o dossel forrageiro, em que a parcela deveria atingir 0,20m de altura par ao corte ser realizado, deixando 0,10m de residual. Nas avaliações, foram realizadas a produção de matéria seca e taxa de acúmulo de matéria seca. Os dados foram submetidos a análise de variância e posteriormente ao teste de Tukey, com 5% de probabilidade de erro. Não houve efeito na interação entra as cultivares e as densidades, assim se ajustou o modelo quadrático, e a regressão segmentada para as densidades de azevém independente da cultivar, onde ficou constatado que a partir de 15,37 kg ha-1 não há diferença para a produção. Para a taxa de acúmulo foi constatado que houve interação entre cultivares no primeiro corte, onde houve efeito de densidades apenas para o BRS Ponteio e que a melhor densidade foi 25 kg ha-1. Com base no efeito da cultivar para a variável produção de MS, foi evidenciado que a cultivar BRS Ponteio foi melhor, produzindo 4,68 t MS ha-1, enquanto a cultivar Potro® teve uma produção de 4,20 t MS ha-1. Foi observado que, independente da ploidia, a densidade aproximada de 15 kg ha-1 é a indicada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
GAVIÃO, L.; PILECCO BARBOSA, V.; NOETZOLD RATTS, L.; MACHADO DOS SANTOS, R.; BOHRER DE AZEVEDO, E.; ANTONIO DEL VALLE, T. DENSIDADES DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE AZEVÉM DIPLOIDE OU TETRAPLOIDE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.