PRODUTIVIDADE DE Dianthuschinensis L, CULTIVADA EM VASO E EM DIFERENTES SUBSTRATOS

  • Paola Lira
  • Patricia da Rosa Lira
  • Jainara Fresinghelli Netto
  • Natália Machado do Amaral
  • Fatima Cibele Soares
Rótulo Substratos, alternativos, cravina, produtividade

Resumo

A floricultura é um setor que ainda possui uma pequena área de produção, pois é dominado por pequenos produtores, mas tem potencial para sua expansão. A atividade possui inúmeras vantagens, como alta rentabilidade por área cultivada, rápido retorno dos investimentos e capacidade de maior geração de emprego. Dentre as variáveis que afetam a produção de plantas ornamentais, é a escolha correta dos materiais que irão compor o substrato. Atualmente, observa-se que diferentes tipos de resíduos agroindustriais vêm sendo progressivamente aplicados como substrato, visando oferecer alternativas para produtores, além de minimizar o impacto ambiental provocado pelos resíduos sólidos gerados pela agroindústria. Diante disso, o presente trabalho tem por objetivo avaliar a produtividade de flores da cravina cultivada em substratos formados pelas misturas de húmus, erva-mate, borra de café e solo. O experimento foi conduzido em casa de vegetação situada na área experimental do curso de engenharia agrícola da Universidade Federal do Pampa- Campus Alegrete. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com quatro tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram compostos por substratos obtidos através das seguintes misturas: T1 - 40% solo, 40% húmus e 20% Erva Mate; T2 - 50% solo, 40% húmus e 10% borra de café; T3 - 40% solo, 30% húmus, 30% erva mate e 10% borra de café e T4 - 100% substrato comercial. O solo utilizado é classificado como Argissolo Vermelho Distrófico arênico. A borra de café e erva mate, materiais descartados após seu uso, foram obtidas de doações da comunidade acadêmica. O substrato comercial foi da marca Mecplant®. A semeadura da cultura foi realizada de forma manual, as mesmas foram dispostas em bandejas de isopor, com perfurações na base a fim de permitir a circulação de ar e água, as células foram preenchidas completamente com substrato comercial. Após 30 dias da semeadura, as mudas foram transplantadas para vasos de plástico com capacidade de 1,285 L. Todos os tratamentos receberam irrigação uniforme, com reposição de 90% da sua capacidade de vaso. As mesmas eram realizadas de acordo com a demanda hídrica da cultura. Ao término do ciclo da cultura, avaliou-se o diâmetro das flores (cm) e número de botões por planta. Os dados foram submetidos à análise estatística, quando a hipótese rejeitou H0, foi aplicado o teste de tukey. Através dos resultados observou-se, nas variáveis estudadas, que o cultivo em diferentes substratos não apresenta diferença estatisticamente significativa. O tratamento T1 apresentou os maiores valores para número médio de flores por planta (8,2) e diâmetros médio de flores (5 cm). Já, os menores valores, em ambas as variáveis, ocorreram nas plantas cultivadas no T3. Com base nos resultados obtidos conclui-se que solo; húmus e erva-mate podem ser aproveitados para a composição de substratos, utilizados no cultivo de Dianthus Chinensis L.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
LIRA, P.; DA ROSA LIRA, P.; FRESINGHELLI NETTO, J.; MACHADO DO AMARAL, N.; CIBELE SOARES, F. PRODUTIVIDADE DE Dianthuschinensis L, CULTIVADA EM VASO E EM DIFERENTES SUBSTRATOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.