ESTIMATIVA DA DEMANDA ENERGÉTICA DE DIFERENTES CATEGORIAS DE GRADES DE DISCOS NO PREPARO DO SOLO

  • Vanessa Cogo
  • Sueli Elisa Kullmann
  • Vilnei De Oliveira Dias
Rótulo Grades, Preparo, solo, Demanda, energética

Resumo

O preparo do solo visa à melhoria nas condições físicas e químicas do solo, proporcionando condições favoráveis à semeadura, germinação das sementes, emergência das plântulas, e o desenvolvimento de plantas. Diante disso, um dos implementos mais utilizados para o preparo do solo são as grades de discos. Ao se buscar a correta mobilização e revolvimento do solo, precisa-se estar atento à demanda de energia, principalmente, o que pode ser feito estudando a relação potência e força de tração demandada e quantidade de órgãos ativos, que no caso das grades são os discos de corte. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo avaliar a demanda energética de alguns modelos de grades de discos utilizadas em preparo do solo. Para isso, foram acessados catálogos de grades de discos de marcas distintas e coletadas as informações de 10 modelos aleatórios para grades aradoras, intermediárias e niveladoras. Seguidamente estudou-se a relação entre o número de discos e potência máxima necessária (kW) e a potência específica (KW/m² de solo trabalhado). As determinações foram realizadas considerando uma profundidade de 0,15m e a velocidade de gradagem de 6,0 km h-1. Analisando o gráfico de regressão das grades aradoras, notou-se um comportamento quadrático na relação entre potência e número de discos, sendo os modelos analisados apresentavam entre 10 até 72 discos. Na grade de 10 discos, obteve-se a potência mínima de 83,79 KW e potência específica máxima, já na grade de 56 discos têm-se a potência máxima de 249,9 kW. No entanto, a potência específica máxima foi encontrada na de 68 discos, isso ocorreu pelo fato de que se tem um elevado número de discos exigindo uma menor potência, observando assim uma redução da potência no número máximo de discos analisado. Nas grades intermediárias o comportamento foi linear, ou seja, o aumento proporcional na potência com elevação do número de discos. Neste, analisou-se discos de corte variando entre 14 até 78, onde a grade de 14 discos apresentou potência mínima de 66,15 KW, a grade de 78 discos obteve potência máxima de 279,3 KW, já a potência mínima foi encontrada na grade de 64 discos pela baixa potência exigida e a potência máxima encontrou-se nas grades de 26 e 16 discos. Assim como as grades intermediárias as grades niveladoras apresentam comportamento linear, sendo analisados com o número de discos variando entre 20 até 60 unidades. Na grade de 20 discos, encontraram-se a potência mínima de 44,1 kW e potência específica máxima, já na grade de 56 discos obteve a potência máxima de 119,07 kW e potência específica mínima. Pode-se concluir que diferentes categorias de grade apresentam comportamentos distintos em relação à demanda energética, o que pode impactar diretamente em variáveis como consumo de combustível e demanda de força de tração pelo implemento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
COGO, V.; ELISA KULLMANN, S.; DE OLIVEIRA DIAS, V. ESTIMATIVA DA DEMANDA ENERGÉTICA DE DIFERENTES CATEGORIAS DE GRADES DE DISCOS NO PREPARO DO SOLO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.