PADRÕES DE RUMINAÇÃO DE CORDEIROS CRIOULOS SUBMETIDOS A DIETAS COM OU SEM CONCENTRADO

  • Natana Marques
  • Andressa dos Santos Souto
  • Diúlia Zolin Galvani
  • Theline Ribeiro Gonçalves
  • Camila Epifanio Chilindro
  • Gladis Ferreira Correa
Rótulo Comportamento, ingestivo, Merícicas, Tempo, mastigações

Resumo

Com o avanço dos métodos de alimentação e suplementação dos ovinos, a dieta destes tem sofrido alterações na relação volumoso:concentrado. Neste sentido, o estudo do comportamento ingestivo pode ser utilizado como uma ferramenta, pois possibilita ajustar o manejo alimentar. Assim a avaliação do número e tempo de mastigações merícicas (mastigação ruminais) podem ser utilizadas para verificação da interferência do alimento sob os padrões de ruminação dos animais. Por isto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o padrão comportamental das atividades referente a ruminação de ovinos da raça ovina Crioula, submetidos a diferentes dietas. Este trabalho foi desenvolvido na Universidade Federal do Pampa campus Dom Pedrito, durante um período de 90 dias, onde 14 destes foram de adaptação. Foram utilizados 14 cordeiros da raça ovina Crioula, machos castrados, com idade inicial média de quatro meses e peso inicial médio de 20,6 Kg. Estes animais foram divididos em dois grupos experimentais, onde um deles recebeu uma dieta com 100% de Feno de Alfafa (Medicago sativa), e o outro recebeu uma dieta composta por 50%de volumoso (Feno de Alfafa) e 50% de concentrado a base de milho (com base na MS). A alimentação dos animais baseou-se no NRC (2007) e foi estimado um consumo de 3% do peso vivo, sendo que a quantidade de alimento fornecida diariamente era ajustada segundo a relação de oferta e sobra de alimento. Foi avaliado o tempo de ruminação total/dia, número de bolo ruminado/dia, número e tempo de mastigações dos bolos ruminados, de sete animais por tratamento, durante três dias, por 24 horas, sendo os dados registrados a cada 10 minutos. O delineamento foi inteiramente casualizado sendo os dados submetidos á análise de variância e teste t a 5% de significância, utilizando o procedimento GLM. Animais alimentados exclusivamente com feno de alfafa destinaram maior tempo para a atividade de ruminação (P<0,05). Dessa forma, constatou-se que a inclusão de concentrado reduziu o tempo de ruminação diária (393,57 x 233,81 min/dia), o que implicou na redução do número de bolos ruminados/dia (288,89 x 171,41 bolos/dia).Isso demonstra queo teor de fibra das dietas, influencia diretamente nesses padrões. Já a presença de concentrado na dieta não alterou os padrões de mastigação dos bolos ruminados, uma vez que, o número de mastigadas por bolo [62,70 (100%) x 57,34 (50%:50%)] e o tempo de mastigadas por bolo ruminado foram similares entre os animais dos distintos tratamentos [44,21 (100%) x 43,12 (50%:50%)], o que pode ser consequência da melhor qualidade da fibra disponibilizada através do feno. Sendo assim, a inclusão de 50% de concentrado na matéria seca da dieta de cordeiros da raça ovina Crioula, altera o número de bolos ruminados por dia e o tempo de ruminação total diário, porém não altera os padrões de mastigação merícicas dos bolos ruminados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
MARQUES, N.; DOS SANTOS SOUTO, A.; ZOLIN GALVANI, D.; RIBEIRO GONÇALVES, T.; EPIFANIO CHILINDRO, C.; FERREIRA CORREA, G. PADRÕES DE RUMINAÇÃO DE CORDEIROS CRIOULOS SUBMETIDOS A DIETAS COM OU SEM CONCENTRADO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.