PRODUÇÃO E CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO LEITE DE OVELHAS CRIOULAS LANADAS

  • Adriele Fagundes
  • Cassiano Lopes Moreira
  • Theline Ribeiro Gonçalves
  • Gabriela Caillava da Porciuncula
  • Leandro Vieira dos Santos
  • Gladis Ferreira Correa
Rótulo Densidade, Dornic, Localmente, adaptada, Ordenha, manual, pH

Resumo

A produção leiteira é uma atividade importante, para a economia do Rio Grande do Sul, em que existem diversas espécies produtoras de leite. Apesar da produção de leite de ovelhas ainda se incipiente quando comparada a de outras espécies, nos últimos anos, vem tornando-se uma nova fonte de produção e rendimento para o produtor rural, visando a obtenção de derivados com alto valor agregado, atingindo nichos de mercado. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a produção e a composição física do leite de ovelhas da raça Crioula Lanada. O experimento foi realizado na Escola Fazenda da UNIPAMPA/Campus Dom Pedrito (RS), no mês de agosto de 2019, com 30 ovelhas adultas lactantes, da raça Crioula Lanada, com média de 4 semanas de lactação. Foram realizadas três ordenhas de forma manual, em plataforma especifica. Os cordeiros foram separados de suas mães 14 horas antes da realização da ordenha e os dados de produção de leite foram corrigidos considerando o intervalo de 24 horas. Para estimular a descida do leite às ovelhas receberam 15 UI de Ocitocina, via intramuscular profunda, previamente a ordenha. A produção de leite individual de cada animal foi acondicionada em caixas térmicas e remetida ao Laboratório de Tecnologia de Produtos de Origem Animal da Universidade Federal do Pampa (Campus Dom Pedrito). Foram feitas as seguintes análises: produção (mL), densidade (g/mL), Graus Dornic e pH. Foi realizada uma análise descritiva para avaliar a dispersão dos dados, com cálculo dos valores médios através do proc means e proc glm do R. A produção de leite média das ordenhas foi de: 612,4 mL para a primeira ordenha, 487,63 mL para segunda ordenha e 449,69 mL para terceira ordenha. A redução entre as semanas denota a diminuição da produção decorrente do declínio da curva de lactação. Para densidade (g/mL) e pH foi de 1,035g/mL e 6,73ºC; 1,034g/mL e 6,67ºC; 1,030g/mL e 6,87ºC, respectivamente, para ordenha 1, 2 e 3. Apresentando diferença estatística significativa (p=0,05). Este resultado é esperado uma vez que a medida que se reduz o volume de leite produzido, há um aumento da concentração dos sólidos do leite, o que reduz a densidade. Quando analisado os graus Dornic, não houve diferença estatística a 5%. A composição física do leite é tão importante quanto a composição química, para a elaboração dos derivados como queijos e doce de leite. E o leite ovino possui características próprias de composição física e química que permitem a elaboração de derivados diferenciados em sabor e aroma. As diferenças observadas entre as ordenhas não interferem na qualidade físico do leite de ovelhas Crioulas Lanadas para a elaboração de derivados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
FAGUNDES, A.; LOPES MOREIRA, C.; RIBEIRO GONÇALVES, T.; CAILLAVA DA PORCIUNCULA, G.; VIEIRA DOS SANTOS, L.; FERREIRA CORREA, G. PRODUÇÃO E CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO LEITE DE OVELHAS CRIOULAS LANADAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.