COMPORTAMENTO REPRODUTIVO DE OVELHAS CRIOULAS LANADAS COM E SEM CRIA AO PÉ

  • Caroline Nogueira
  • Andressa dos Santos Souto
  • Camila da Rosa Monteiro
  • Mateus Franco Zwirts Collares
  • Leonardo Macedo Viega
  • Gladis Ferreira Correa
Rótulo Levantamento, Cauda, Aceite, Macho, Lactação, Sincronização, Estro

Resumo

A indução e sincronização de cio para produtores que trabalham diretamente com a ovinocultura é uma estratégia para que os animais tenham além de ótimos resultados na taxa de prenhes, nascimentos sincronizados, facilitando o manejo nutricional destes animais. Entretanto, para melhor entendimento sobre a reprodução como um todo, o conhecimento do comportamento é essencial para reconhecer os sinais que a fêmea demonstra quando esta apta para receber a cópula. Este trabalho teve o objetivo de estudar o comportamento sexual de fêmeas Crioula Lanada, com ou sem cria ao pé. O experimento foi realizado na Escola Fazenda da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA / Campus de Dom Pedrito, RS, no período de 01 a 24 de fevereiro de 2019. Cinquenta e oito ovelhas adultas (CEUA/UNIPAMPA - 054- 2018 foram divididas em dois tratamentos: ovelhas solteiras e ovelhas lactantes, submetidos à sincronização do estro através da aplicação de duas doses de 0,5 ml do hormônio prostaglandina, com intervalo de dez dias. O grupo de ovelhas lactantes possuía animais com partos simples e gemelares e com intervalo de 60 a 136 dias de lactação. Os carneiros permaneciam das 08h00min às 20h00min às junto as fêmeas, após esse horário os machos eram afastados das fêmeas para pernoitarem. Nas fêmeas foram avaliados os seguintes comportamentos: levantamento de cauda, abano de cauda, cheirada, urina, lambida, desinteresse, vocalização e aceite do macho. Para a análise estatística, primeiramente foi realizada análise descritiva para avaliar a dispersão dos dados. Na seleção dos atributos a serem incluídos na análise multivariada, os atributos (fatores principais FP) com 90% ou mais de observações em uma única classe não foram incluídos no modelo. Observou-se diferença significativa para os tratamentos cria ao pé e solteiras (P= 0.0059). Na avaliação das cargas fatoriais rotacionadas do comportamento reprodutivo de fêmeas no período de reprodução observou-se que as variáveis, levantamento de cauda e abano de cauda (FP1) associaram-se negativamente, tendo explicado 26,71 % da variância acumulada. A ação de cheirada realizada pela fêmea associa-se negativamente como tratamento cria ao pé (FP2), tendo estas explicadas 45,81 % da variância acumulada. O comportamento de aceite do macho associa-se negativamente com a micção (FP3), sendo estas explicadas com 59,22% de variância acumulada. No comportamento desinteresse foi observado que na grande maioria das variáveis cria ao pé e solteiras não demonstrou esse comportamento (FP4). Houve mudança da expressão do comportamento reprodutivo em fêmeas com cria ao pé. Ovelhas solteiras, no momento da reprodução, demonstraram comportamentos que indicaram mais facilmente a aceitação do macho.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
NOGUEIRA, C.; DOS SANTOS SOUTO, A.; DA ROSA MONTEIRO, C.; FRANCO ZWIRTS COLLARES, M.; MACEDO VIEGA, L.; FERREIRA CORREA, G. COMPORTAMENTO REPRODUTIVO DE OVELHAS CRIOULAS LANADAS COM E SEM CRIA AO PÉ. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.