EFEITO DO INOCULANTE MICROBIANO SOBRE A COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE BIOFLOCOS

  • Lethicia de Souza
  • Gabriel Bernardes Martins
  • Alessandra Perez Gomes
  • Catia Aline Veiverberg
Rótulo flocos, microbianos, piscicultura, composição, bromatológica

Resumo

O sistema de bioflocos (BFT) é baseado na manutenção de níveis elevados de flocos microbianos em suspensão, formados pelo estímulo de bactérias heterotróficas, através da aeração constante e adição de fontes de carbono. Uma opção para estimular a formação dos flocos microbianos, pode ser a adição de solo ou água de viveiros como fonte de microorganismos. Essa biomassa de flocos pode substituir a ração como fonte de alimento, e sua composição nutricional depende de fatores como densidade e tamanho do floco, fonte de carbono e presença de inoculante. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da inoculação microbiana na composição de bioflocos. Foram distribuídas 120 carpas coloridas (Cyprinus carpio, peso médio inicial 57,64±2,98 g) em 12 unidades experimentais (tanques de 120 L). Avaliou-se três tratamentos experimentais com quatro repetições cada: BA: com água de barragem; PO: água de poço artesiano; e IN: água de poço + inoculante (solo de fundo de viveiro, 500 mg/L). Como fonte de carbono, foi adicionado periodicamente melaço líquido. Os animais foram alimentados duas vezes ao dia, na proporção de 2% da biomassa. Ao final do experimento, foram coletadas amostras de bioflocos de cada unidade e armazenadas em congelador. Posteriormente as amostras foram descongeladas em refrigerador e centrifugadas para retirada do excesso de água. As amostras passaram por análises de composição bromatológica, sendo levadas inicialmente a estufa a 55°C para redução da umidade e posteriormente a estufa a 105°C para determinação da matéria seca. Após, as amostras foram levadas a mufla a 550°C para determinar a matéria mineral. Para as análises de gordura utilizou-se o método de Bligh & Dyer e para determinar a proteína bruta utilizou-se o método de Kjeldahl. Os dados foram submetidos a análise de variância, seguida de comparação de médias pelo teste de Tukey. Para os parâmetros de matéria seca, gordura e matéria mineral não houve diferença significativa entre os tratamentos, já na determinação de proteína bruta houve diferença significativa entre o tratamento BA (31,06% PB na matéria seca) e o tratamento IN (24,34% PB), sendo que ambos não diferiram do tratamento PO (28,68% PB). Estudos com outras espécies relatam que a concentração de proteína em flocos microbianos pode variar de 20% a 40%, sendo afetada pela fonte de carbono, diversidade de microorganismos da água de origem e da presença de inoculante. Autores relatam que a inoculação com Bacillus sp. pode aumentar o teor proteico dos bioflocos, oposto ao que foi observado neste estudo. Os resultados obtidos nesta etapa do trabalho indicam que a adição de inoculante estimula bactérias, protozoários e algas específicas, o que afeta a composição microbiana e a organização comunitária dos bioflocos e, por consequência, sua qualidade nutricional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DE SOUZA, L.; BERNARDES MARTINS, G.; PEREZ GOMES, A.; ALINE VEIVERBERG, C. EFEITO DO INOCULANTE MICROBIANO SOBRE A COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE BIOFLOCOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.