LESÕES PAPILOMATOSAS NA REGIÃO GENITAL DE TOUROS

  • Rafaela Dornelles
  • Felipe Goulart Almiron
  • José Conrado dos Santo Jardim
  • Mario Celso Sperotto Brum
  • Paula Fonseca Finger
  • Carolina Kist Traesel
Rótulo Papiloma, Reprodução, Vacina, autógena

Resumo

A papilomatose bovina é uma enfermidade responsável por acarretar perdas econômicas em rebanhos de diversas regiões do mundo. O agente causador é o vírus da papilomatose bovina (BPV), pertencente à família Papillomaviridae. O BPV infecta o epitélio escamoso da epiderme e células da mucosa e sua replicação induz a proliferação anormal e a formação de lesões neoplásicas, denominadas de papilomas. Normalmente, as lesões ocorrem próximas aos olhos, orelhas, pescoço, tronco e tetos. Poucos casos descrevem a presença das lesões em regiões diferentes. O objetivo do presente estudo é descrever a ocorrência de lesões compatíveis com papilomatose no escroto, prepúcio e mucosa prepucial de reprodutores bovinos. Um lote de 60 touros da raça Brangus, com idade aproximada de 24 e 30 meses, mantidos em campo nativo, foi submetido ao exame andrológico para avaliação da capacidade reprodutiva. Entre os animais examinados, 11 apresentaram lesões com característica papilomatosa ao redor dos olhos e no pescoço. Adicionalmente, dez animais também tinham lesões no escroto, pele e mucosa do prepúcio. Aproximadamente 100 g de tecido neoplásico foi coletado dos animais afetados e submetidos para a realização de vacinas autógenas. Não foi observada nenhuma alteração no exame das glândulas internas e nos parâmetros seminais (volume, aspecto, motilidade, vigor) dos touros afetados. No entanto, os animais foram reprovados no exame clínico e segregados do restante do rebanho. Até o momento, somente a primeira dose da vacina autógena foi aplicada e não foi possível observar regressão das lesões. A recomendação da vacina autógena é a utilização de três doses e o tratamento ainda está em andamento. Os animais estão sendo monitorados para a avaliação da regressão das lesões e se existe um possível efeito deletério na produção seminal, pois a vacina pode induzir reação inflamatória na pele do escroto e interferir na produção com a termorregulação testicular. A ocorrência de lesões em órgãos reprodutivos de touros não é frequente e impossibilita a sua utilização, pois servirão como fonte de infecção para outros animais do rebanho. A papilomatose bovina por ser uma doença viral muito frequente em bovinos, a ocorrência em órgãos reprodutivos pode interferir na capacidade funcional dos animais e aumentar os prejuízos econômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DORNELLES, R.; GOULART ALMIRON, F.; CONRADO DOS SANTO JARDIM, J.; CELSO SPEROTTO BRUM, M.; FONSECA FINGER, P.; KIST TRAESEL, C. LESÕES PAPILOMATOSAS NA REGIÃO GENITAL DE TOUROS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.