VALIDAÇÃO DE UMA FITA QUÍMICA DE URINA PARA MENSURAÇÃO DA GLICOSÚRIA

  • Leticia Butarello
  • Renata Wolff Roese
  • Diogo Ferreira Bicca
  • Andrielli Trentim Pereira
  • Natália Horstmann Risso
  • Mirela Noro
Rótulo Glicose, Urinálise, Canino

Resumo

Glicosúria é o termo utilizado para se referir à presença de glicose na urina. Ela pode ter uma origem fisiológica por nutrição rica em carboidratos ou excitação; iatrogênica por fluidoterapia com dextrose ou corticoideterapia; ou origem patológica por diabetes mellitus, pancreatite aguda, carcinoma pancreático e hiperadrenocorticismo. Devido a importância da mensuração da glicosúria na prática clínica veterinária o objetivo do trabalho foi avaliar a eficácia de uma fita química de urina comercial para mensurar diferentes graus de glicosúria. Preparou-se uma curva com diferentes concentrações de dextrose (Proquímicos®; 0mM; 2,5mM; 5,0mM; 15mM; 30mM; 80mM; 110mM; 250mM; 500 mM) usando uma amostra de urina de uma cadela hígida. A curva com as diferentes concentrações de glicose foi mensurada manualmente por dois avaliadores treinados, em sistema de duplo cego, usando as fitas para urinálise BIO 10 (Yercon Diagnotic, China), com escala de 0mM, 5mM, 15mM, 30mM, 60mM e 110mM. A leitura dos resultados na fita foi realizada aos 1, 5 e 20 minutos após a imersão da mesma na amostra. Os resultados da fita nos diferentes tempos foram contrastados com as concentrações da curva mediante análise de correlação de Pearson e pela análise de concordância de Kappa, com nível de significância de 95%. O maior grau de correlação e concordância da fita de urina com a curva foi observado na leitura realizada aos 5 minutos (r= 0,90; Kappa=0,40, P<0,05, para ambos avaliadores), seguido pela leitura dos 20 minutos (r=0,86 e r=0,77; Kappa=0,39 e Kappa=0,40, para avaliadores 1 e 2, respectivamente, P<0,05). A leitura realizada ao 1 minuto apresentou concordância apenas com o avaliador 1, sendo esta muito baixa (Kappa=0,27, P<0,05), apesar de apresentar correlação para ambos avaliadores (r=0,88 e r=0,71, P<0,05). A baixa concordância e menor correlação observada no minuto 1 contrasta com as indicações do fabricante que indica leitura aos 30 segundos. A débil concordância (Kappa <0,5) observada ocorreu devido à baixa sensibilidade diagnóstica da fita em concentrações de glicose superiores a 80 mM, concentração na qual a mensuração perdeu sua linearidade crescente mantendo a leitura num platô máximo detectável de 60 mM, apesar de sua escala semi-quantitativa chegar a 110 mM. Conclui-se que a glicosúria seja mensurada aos 5 minutos após a imersão da fita na amostra e em concentrações iguais ou maiores a 60 mM a amostra seja diluída para nova mensuração.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
BUTARELLO, L.; WOLFF ROESE, R.; FERREIRA BICCA, D.; TRENTIM PEREIRA, A.; HORSTMANN RISSO, N.; NORO, M. VALIDAÇÃO DE UMA FITA QUÍMICA DE URINA PARA MENSURAÇÃO DA GLICOSÚRIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.