AVALIAÇÃO DE DIFERENTES INSTRUMENTOS E LOCAIS PARA AFERIÇÃO DA TEMPERATURA CORPORAL EM EQUINOS

  • Ana Rodrigues
  • Eduarda Sacardi Severo
  • Onildo Gonçalves Nunes
  • Geórgia Camargo Góss
  • Gabriela Döwich
  • Marcos da Silva Azevedo
Rótulo Cavalos, Termometria, Infravermelho

Resumo

Os termômetros normalmente utilizados para avaliação da temperatura em equinos são o de mercúrio e o digital. Outro método de avaliação da temperatura que tem sido utilizado atualmente é a radiação infravermelha. O objetivo desse trabalho foi comparar a eficiência dos termômetros infravermelho, digital e de mercúrio para a mensuração da temperatura corporal em equinos. Foram utilizados 72 equinos, de diferentes raças, pesando entre 300-500 Kg e com idades entre 4-16 anos. As avaliações iniciavam com o termômetro infravermelho, o qual era utilizado em três diferentes pontos, iniciando pela mucosa oral (mucosa dos dentes incisivos superiores), seguido do pavilhão auricular e finalizando com a mucosa anal (machos) ou vaginal (fêmeas), sendo respeitado o tempo de exposição do termômetro infravermelho, para cada avaliação, de 5 segundos. Posteriormente eram feitas as aferições da temperatura retal com o termômetro digital e de mercúrio, os quais eram lubrificados com vaselina sólida e posteriormente mantidos por 2 minutos em contato com a superfície da mucosa retal, também respeitava-se o intervalo de 2 minutos entre cada avaliação retal. A temperatura ambiente era aferida com auxílio do termômetro infravermelho. Os dados foram submetidos à análise de variância ANOVA e comparados pelo test T ao nível de significância de 5%. O termômetro de coluna de mercúrio foi utilizado como padrão, fazendo a comparação das demais avaliações com a temperatura obtida por esse termômetro. O termômetro de mercúrio (média 37,4) foi diferente estatisticamente quando comparado ao termômetro infravermelho, aferido na mucosa anal ou vaginal (média 37,78) (P= 0,025) e o termômetro de mercúrio comparado ao termômetro infravermelho, aferido na mucosa bucal (média 37,58) (P=0,005). Não se observou diferença estatística entre o termômetro de mercúrio com o termômetro digital (média 37,4) (P= 0,168) e entre o termômetro de mercúrio e o infravermelho, aferido no pavilhão auricular (média 37,23) (P= 0,089). Esse resultado demonstra que o termômetro infravermelho quando utilizado no pavilhão auricular pode ser uma opção para mensuração da temperatura de cavalos. Todavia, um trabalho realizado com equinos observou que o termômetro infravermelho utilizado no pavilhão auricular, quando comparado com o termômetro de mercúrio transretal, não foi confiável para monitoramento da temperatura. Estudos realizados com cães indicaram, porém, que o termômetro infravermelho quando utilizado no pavilhão auricular foi confiável. Portanto, o termômetro infravermelho é uma alternativa rápida e pouco invasiva, sendo assim, uma possibilidade para aferição da temperatura corporal em equinos, sendo o pavilhão auricular o local recomendado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
RODRIGUES, A.; SACARDI SEVERO, E.; GONÇALVES NUNES, O.; CAMARGO GÓSS, G.; DÖWICH, G.; DA SILVA AZEVEDO, M. AVALIAÇÃO DE DIFERENTES INSTRUMENTOS E LOCAIS PARA AFERIÇÃO DA TEMPERATURA CORPORAL EM EQUINOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.