[1]
B. Figueiredo e C. H. do Vale Pascoal Rodrigues, “In EFICÁCIA DA LEI MARIA DA PENHA”, Missões, vol. 7, nº 2, p. 274-293, out. 2021.