GOVERNANDO CRIANÇAS: ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE O CURRÍCULO DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Camila Chiodi Agostini
https://orcid.org/0000-0002-7501-9553

Resumo

O currículo na atualidade se apresenta como forma de condução dos estudantes, em especial na Educação Infantil. O surgimento da Base Nacional Comum Curricular acirrou o debate em torno desse aspecto do currículo. O presente trabalho visa socializar os achados de pesquisa realizada por ocasião de dissertação de mestrado que analisou a BNCC para infância através dessa lógica. A pergunta central se baseia em questionar: quais aspectos que podem ser destacados em relação a BNCC para Educação Infantil que implicam em considerar um governamento das crianças? Trata-se, portanto, de estudo exploratório, de pesquisa simples, qualitativo, bibliográfico, de análise dos textos legais e autores que fundamentam os embasamentos conceituais e analíticos, com metodologia hermenêutica-analítica. Com a pesquisa foi possível perceber que a Base, através de conceitos neoliberais de governamento e autocondução atua para esquadrinhar a delimitar a infância de uma forma específica de ser e conduzir-se. O objetivo é que as crianças comecem desde cedo a empreender em nome de seu sucesso futuro, tratando-se a Educação Infantil como investimento em capital humano. A Base parece nortear o currículo da Educação Infantil para esse fim.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CHIODI AGOSTINI, C. GOVERNANDO CRIANÇAS:. Missões: Revista de Ciências Humanas e Sociais, v. 8, n. 1, p. 110-129, 4 set. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Camila Chiodi Agostini, Universidade de Passo Fundo

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo - UPF/RS. Mestre Interdisciplinar em Ciências Humanas pela UFFS, Campus Erechim/RS. Pós-graduada em Direito Público pela IMED - Passo Fundo/RS (2010). Pedagoga, graduada pela Universidade Anhanguera - Unidade Passo Fundo/RS (2018). Bacharel em Direito, graduada pela Universidade Luterana do Brasil (2008). Advogada Licenciada. Servidora pública federal junto a Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS, Campus Passo Fundo/RS.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; RODRIGUES, Tatiane Cosentino. Descolonizando as pesquisas com crianças e três obstáculos. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v.35, n.127, p.461-474, abr./jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v35n127/v35n127a07.pdf. Acesso em: 20 mai 2020.

AUGUSTO, Acácio. Governando crianças e jovens: escola, drogas e violência. In: RESENDE, Haroldo (org). Michel Foucault: o Governo da infância. Belo Horizonte/MG: Autêntica Editora, 2015, p. 11 a 24.

BALL, Stephen. (2012). Global education Inc.: new policy networks and the neoliberal imaginary. New York, Routledge.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira, et al. Base Nacional Comum Curricular – avanços para qual direção? Abaixo Assinado ao Ministério da Educação. Disponível em: https://www.change.org/p/minist%C3%A9rio-da-educa%C3%A7%C3%A3o-base-nacional-comum-curricular-avan%C3%A7os-para-qual-dire%C3%A7%C3%A3o.Acesso em 01 mai 2017.

BAUMAN, Zigmund. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BRASIL. Resolução CEB Nº 1, De 7 De Abril De 1999.Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=3749-resolucao-dcnei-dez-2009&category_slug=fevereiro-2010-pdf&Itemid=30192.Acesso em 25 out 2015.

BRASIL. Versão final da Base Nacional Curricular Comum. Versão para consulta pública. Ministério da Educação. Homologada em 14 de dezembro de 2018. Disponível em:http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em 20 dez 2018.

CARVALHO, Rodrigo Saballa de. Empreendedorismo, autocrítica e flexibilidade: problematizando traços da cultura gestionária de vida nos discursos de pedagogos em formação. Revista Currículo sem Fronteiras, v. 12, nº02, p. 470-498, maio/ago de 2012,. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss2articles/carvalho.pdf. Acesso em 01 mai 2017.

CASAGRANDE, C. A . G. H. Mead & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

CÉSAR. Maria Rita de Assis. (Des)educando corpos: volumes, comidas, desejos e anova pedagogia alimentar. In: RAGO, Margareth, VEIGA-NETO, Alfredo (orgs.). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte/MG: Autêntica Editora, 2009, p. 269 a 279.

FINCO, Daniela. Campos de Experiência educativa e programação pedagógica na escola da infância. In: FINCO, Daniela; BARBOSA, Maria Carmem; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Campos de Experiência na escola da infância: contribuições italianas para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015, p. 233-245.

FRANGELLA, Rita de Cássia Pazeres. Um pacto curricular: o pacto nacional pela alfabetização na idade certa e o desenho de uma Base Comum Nacional. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, nº 02, p. 69-89, abr/jun 2016. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982016000200069&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 01 mai 2017.

FOCHI, Paulo Sergio. Ludicidade, continuidade e significatividades nos campos de experiência. In: FINCO, Daniela; BARBOSA, Maria Carmem; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Campos de Experiência na escola da infância: contribuições italianas para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015, p. 221-232.

FOUCAULT, Michel. Segurança, Território e População. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica, governamentabilidade e educação: introdução e conexões a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

MACEDO, Elizabet. Base Nacional Curricular Comum: Novas Formas De Sociabilidade Produzindo Sentidos Para Educação. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03, p.1530 – 1555, out./dez. 2014. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/viewFile/21666/15916. Acesso em 03 ago 2016.

MACEDO, Elizabet. Base nacional curricular comum: a falsa oposição entre conhecimento para fazer algo e conhecimento em si. Educação em Revista. [online], vol.32, n.2, pp.45-68, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698153052. Acesso em 01 mai 2017.

MEAD, G. H.: Espíritu, persona y sociedade. Buenos Aires: Paidós, 1968.

NOGUEIRA-RAMÍREZ, Carlos Ernesto. O governamento pedagógico: da sociedade do ensino para a sociedade da aprendizagem. Tese de Doutorado. Porto Alegre, Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, 2009. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/18256/000727608.pdf?sequence=1. Acesso em: 06 out 2015.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Um currículo entre formas e forças. Revista Educação (Porto Alegre, impresso), v. 38, n. 1, p. 49-58, jan.-abr. 2015. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/18443/12752. Acesso em 05 mai 2017.

RAGO, Margareth, VEIGA-NETO, Alfredo (orgs). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte/MG: Autêntica Editora, 2009.

RESENDE, Haroldo (org). Michel Foucault: o Governo da infância. Belo Horizonte/MG: Autêntica Editora, 2015, p. 11 a 24.

SILVA. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. 1 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

TRAVERSINI, Clarice Salete; FABRIS, Elí Terezinha Henn. Estratégias de regulação da vida escolar contemporânea: uma análise do 8º prêmio professores do Brasil. Revista Perspectiva, Florianópolis, v.34, n. 3, set/dez de 2016, p. 792-819. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2016v34n3p792. Acesso em 01 mai 2017.

TRAVERSINI, Clarice Salete. Um currículo entre formas e forças. Revista Educação (Porto Alegre, impresso), v. 38, n. 1, p. 49-58, jan.-abr. 2015. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/18443/12752. Acesso em 05 mai 2017.

WONG, James. Paradoxo de capacidade e poder: ontologia crítica e o modelo de desenvolvimento da infância. In: PETERS, Michael A.; BESLEY, Tina (orgs) Por que Foucault? Novas diretrizes para a pesquisa educacional. Porto Alegre/RS: Artmed, 2008, p. 81 a 99.

ZUCCOLI, Franca. As indicações nacionais italianas: campos de experiência e arte. In: FINCO, Daniela; BARBOSA, Maria Carmem; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Campos de Experiência na escola da infância: contribuições italianas para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015, p. 199-219.